Por que tantos estudantes pensam em desistir da faculdade?

By Comunicacão FAPPES 3 semanas ago

Nos últimos anos, o Brasil registrou um aumento no índice dos(das) alun@s que desistem da graduação. Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 11,4% d@s estudantes abandonaram o curso em 2010, enquanto, em 2014, esse número cresceu para 49%.

Mas o que faz um(a) alun@ desistir da faculdade? Muitas vezes, é a falta de um planejamento financeiro, desconhecimento da grade curricular ou a ausência de identificação com a universidade. Quer entender melhor os motivos que levam muit@s estudantes a abandonarem a educação superior e evitar que isso aconteça com você? É só continuar a leitura do post!

Quais as motivações para um(a) estudante desistir da faculdade?

O estudo do Inep, citado anteriormente, identifica a ausência de orientação vocacional como um dos agravantes para a desistência do curso de graduação. Segundo a pesquisa, apenas 8% d@s alun@s do ensino médio participam de programas de orientação profissional. Essa falta de instrução dificulta o entendimento sobre a carreira e as aptidões d@ alun@.

Acompanhe abaixo outros motivos que provocam a desistência d@s estudantes:

Pressão dos pais

Muit@s jovens escolhem uma graduação com base no alto rendimento salarial daquela profissão ou por influência dos pais. Dessa maneira, quando alguma disciplina fica mais difícil ou as notas começam a cair, @ alun@ perde a motivação, desistindo do curso.

Por isso, o ideal é não se deixar influenciar pelos pais ou outras pessoas mais velhas, mas sim buscar identificar quais os assuntos que mais gosta de aprender, quais os objetivos profissionais e verificar as carreiras que mais chamam a atenção.

Geralmente, @ jovem precisa escolher a graduação muito cedo, quando possui entre 16 e 18 anos. A falta de experiência e conhecimento sobre as dificuldades da profissão podem atrapalhar nesse processo de escolha.

Portanto, o mais indicado é procurar ajuda de um(a) orientador/orientadora vocacional ou coaching, conversar com outras pessoas que atuam no ramo em que @ alun@ pretende estudar e perguntar sobre os desafios da profissão. Com uma visão mais clara, fica fácil de identificar se você quer seguir por esse caminho.

Descontentamento com a grade curricular

De um modo geral, as universidades apresentam um conteúdo engessado para @ alun@, obrigando-o/obrigando-a a fazer determinadas disciplinas para avançar no curso. Isso traz certo descontentamento, pois @ jovem não consegue perceber como determinada matéria pode contribuir para o seu futuro profissional.

Por isso, o mais indicado é pesquisar sobre o curso antes de ingressar na faculdade, verificar as oportunidades de escolha das disciplinas e analisar se será capaz de terminar uma matéria, mesmo que não goste dela.

Falta de identificação com a faculdade

Muitas faculdades não permitem que @ alun@ manifeste suas ideias e vontades, exigindo que ele/ela frequente as aulas e mantenha um papel de “ouvinte”. Porém, @s jovens de hoje gostam de participar ativamente do processo educacional, solicitar melhorias e atualizações nas disciplinas, conforme as mudanças aparecem na sociedade.

Essa falta de identificação com uma faculdade do modelo tradicional também dificulta o processo de aprendizagem, aumentando as taxas de desistência dos cursos.

Para evitar que isso aconteça, o melhor caminho é buscar informações sobre a instituição de ensino, conversar com atuais estudantes, pesquisar índices de reclamação e visitar o local para verificar se você, futur@ alun@, se sentirá acolhido(a).

Dificuldades financeiras

Com a criação dos programas governamentais como o ProUni (Programa Universidade para Todos) e FIES (Financiamento Estudantil), o índice de desistência por motivos financeiros já caiu, mas ainda atinge uma taxa de 10,5%.

Portanto, a falta de dinheiro para pagar os estudos ainda é um motivo para evasão do curso. Sendo assim, antes de se inscrever em uma graduação, é aconselhável que @ jovem converse com a família e verifique as condições financeiras antes de iniciar a faculdade.

Além disso, muitas universidades oferecem a possibilidade de cursar um número reduzido de disciplinas para facilitar as condições de pagamento. Ao ter consciência sobre as finanças, fica mais fácil encontrar a melhor solução para cada perfil.

Desconhecimento sobre a carreira

Outro erro cometido por muit@s estudantes é o desconhecimento sobre a carreira antes de ingressar em uma faculdade. Muitas vezes, @ jovem tem uma visão fantasiada sobre a profissão e suas glórias, sem saber ao certo quais serão as dificuldades do dia a dia, a rotina de trabalho e a capacidade de adaptação exigida.

Por exemplo: não se deve escolher um curso de relações internacionais apenas porque @ alun@ gosta de viajar e conhecer diferentes culturas. É preciso saber que @ jovem terá que entender sobre questões políticas e econômicas para atuar nesse ramo e, se não gostar dessas áreas, poderá se frustrar muito.

Por isso, é essencial conhecer mais a fundo as aptidões que serão exigidas d@ profissional antes de ingressar em uma faculdade. Também é aconselhável saber se a carreira exige conhecimento em outras línguas, viagens e trabalho fora do horário comercial, para que @ alun@ tenha uma visão real sobre o futuro.

Como saber se é o momento de desistir do curso?

Muit@s estudantes ingressam no ensino superior com vontade de aprender, desenvolver suas habilidades e conquistar um espaço no mercado de trabalho. Porém, algumas dificuldades podem surgir na vida acadêmica, e @ alun@ deve avaliar se vale a pena continuar o curso.

Quando @ jovem percebe que não consegue acompanhar a turma, deve prestar atenção se as disciplinas estão difíceis ou se não está se esforçando ao máximo. Uma opção é conversar com @ professor/professora e pedir ajuda com materiais complementares ou indicações do que pode fazer para entender melhor.

Caso perceba que as notas continuam a cair, talvez esteja na hora de conversar com a administração do curso e verificar as alternativas. Muitas vezes, é possível montar grupos de estudo ou trocar de graduação, aproveitando as disciplinas que já frequentou.

Como evitar o abandono do curso?

A melhor maneira de evitar que você inicie uma graduação e depois a abandone é conhecer as suas expectativas em relação ao curso e à vida profissional.

Também é recomendado analisar novos modelos educacionais que são mais flexíveis à rotina d@ alun@ e às disciplinas que podem ser cursadas. Por exemplo: em uma faculdade tradicional @ estudante precisa seguir um cronograma, como fazer cálculo 1, depois cálculo 2 e assim por diante. As disciplinas são exercidas por semestre ou ano, criando um cronograma fechado.

No modelo nanodegree, a graduação é desenhada para dar as habilidades necessárias para @ alun@ para que ele/ela possa ingressar no mercado de trabalho com a qualificação profissional exigida.

Já o sistema blox, um modelo novo no Brasil, é dinâmico e interativo. Ele permite a personalização dos estudos, que não são mais divididos por semestres. @ alun@ escolhe as disciplinas que têm vontade de estudar e encontra, na sala de aula, pessoas com o mesmo perfil. Isso melhora o desenvolvimento de competências, a relação entre @s estudantes e a vontade de aprender.

Pronto! Agora você já conhece as questões que devem ser avaliadas antes de escolher um curso. Assim, você diminui a chance de desistir da faculdade. Gostou deste post? Assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos como este em seu e-mail!

Category:
  Blog Acadêmico
this post was shared 0 times
 000
About

 Comunicacão FAPPES

  (211 articles)

Comente

Your email address will not be published.