6 desafios para quem quer ser um bom gestor

By Comunicacão FAPPES 3 meses ago

Liderança. Essa palavra soa forte e faz parte do sonho de muitos(as) profissionais. Afinal, estar à frente de uma equipe, assumindo responsabilidades e gerenciando pessoas, quer dizer ascensão na carreira e sucesso.

Pessoas escolhidas para cargos de liderança carregam consigo o peso da confiança nelas depositada. Mesmo com mais cobrança, vamos combinar que a satisfação é grande: ser líder significa alcançar reconhecimento pela competência e ser [email protected] um talento promissor!

Mas a tarefa não é fácil. Os desafios de ser gestor ou gestora são muitos e se renovam diariamente. Quando parece que tudo está indo bem, outra ponta solta aparece, exigindo ainda mais preparo, qualificação e jogo de cintura.

Quais são os maiores desafios? Listamos, aqui, os 6 mais expressivos para que você conheça e saiba como agir. Você pode já ser gestor ou gestora ou estar batalhando para isso: temos certeza de que esse conteúdo vai ajudar você. Vamos lá?

1. Ter sucesso na autogestão

O primeiro desafio da lista talvez seja a base de tudo. Afinal, para gerenciar com eficácia uma equipe e o trabalho de outras pessoas, a autogestão deve estar bem-resolvida. Um gestor e gestora que não organiza a si mesmo(a) não pode fazer isso pelo time.

Essa questão passa, por exemplo, pelo aproveitamento do tempo. Se todos(as) os colaboradores(as) liderados(as) têm prazos e metas para cumprir, não é coerente que quem @s lidera fure compromissos ou não seja fiel ao seu planejamento, certo? Se isso acontecer, rapidamente a equipe vai notar e questionar sua liderança.

O mesmo vale para a resolução de conflitos. Não vale um gestor ou gestora cobrar determinada atitude de sua equipe no tratamento para com outros públicos, se [email protected] faz aquilo mesmo que diz para não fazer.

Também não vale um gestor ou gestora cobrar transparência de seu time, se esconde informações, ou querer comprometimento, se não der provas do seu próprio engajamento constantemente.

Ser gestor ou gestora é liderar pelo exemplo. A equipe só confiará em quem a lidera se as falas de gestores e gestoras estiverem em sintonia com as suas ações.

2. Desenvolver inteligência emocional

Essa habilidade é muito comentada no mundo corporativo, mas desenvolvê-la é uma tarefa árdua. A inteligência emocional é bem mais do que ter estrutura psicológica e emocional para aguentar a pressão do trabalho ou evitar conflitos, embora essas capacidades importantes façam parte dela.

Um gestor ou gestora inteligente emocionalmente tem, por exemplo, a sensibilidade de identificar os diferentes perfis de pessoas da equipe e adotar formas de aproximação, incentivo e cobrança compatíveis com essas características individuais.

Ou seja: quem lidera precisa entender seus/suas liderados(as) para aproveitar ao máximo o potencial que cada talento único empresta para o grupo. Um bom ou uma boa líder não tenta forçar uma fórmula pronta para toda e qualquer pessoa, mas sim as entende.

3. Motivar constantemente outras pessoas

Motivar é uma das tarefas mais importantes do cotidiano de gestores e gestoras, mas também uma das mais difíceis. Para evitar a alta rotatividade [email protected] profissionais de sua equipe, que acaba resultando em prejuízos financeiros e de produtividade, quem lidera precisa manter o grupo engajado.

Ok, necessidade entendida. O difícil é saber como fazer isso: se pressão e cobranças em excesso podem adoecer uma equipe e fazer com que o seu aproveitamento despenque, deixar o time muito livre pode dar a impressão de falta de propósito e desmotivação.

O equilíbrio, então, é a grande chave. Para motivar, gestores e gestoras devem inclusive recorrer à inteligência emocional, sobre a qual já falamos, para entender o que motiva cada integrante da equipe e agir de acordo. Há quem precise da adrenalina da pressão e há quem desmorone com tanta cobrança.

4. Dar autonomia e confiar

A ideia de que um gestor ou gestora deve centralizar todas as responsabilidades ainda existe na cultura corporativa e é muito nociva. Uma das maiores qualidades de quem lidera é saber delegar, dar autonomia para sua equipe e gerenciar sua necessidade de controle.

Perceba que colocamos, ali no título do tópico, não apenas “dar autonomia”, mas também “confiar”. Depositar confiança no trabalho do seu time é uma via de mão dupla: quanto mais @s profissionais recebem votos de confiança, mais confiam em seus gestores e gestoras.

O empoderamento [email protected] profissionais que fazem parte dos processos deve ser uma preocupação constante. Quem “sabe andar com as próprias pernas” com segurança tende a trazer melhores resultados para o coletivo.

5. Criar estratégias para uma boa comunicação

Acontece muito a seguinte situação: gestores e gestoras comprometidos(as), equipe competente, mas algo trava a fluidez dos processos. Muitas vezes, essa pedra no meio do caminho é a falta de uma comunicação, clara, objetiva e eficiente entre gestor/gestora com colaboradores e colaboradoras.

A liderança precisa se comunicar bem com seu time ou os resultados continuarão comprometidos. As metas coletivas e de cada um/a e as expectativas devem ser entendidas para serem cumpridas, correto?

Mais uma vez, a sensibilidade da inteligência emocional está em jogo: é preciso saber o “tom” do diálogo com sua equipe, quais são os melhores momentos e as melhores formas para que cada conversa aconteça. Gritar ou expor o erro de funcionários e funcionárias publicamente, por exemplo, nunca é uma opção.

A boa comunicação entre integrantes das equipes também deve ser encorajada por gestores/gestoras.

6. Incentivar a inovação

Toda empresa possui uma gama de valores, processos e objetivos bem-definidos que precisam ser cumpridos, e é responsabilidade de quem lidera garantir que sua equipe trabalhe de acordo com eles.

Porém, dinâmicas muito engessadas de trabalho podem desmotivar colaboradores e colaboradoras ao coibir a criatividade. Paralelamente às regras, a necessidade de inovação também é uma realidade: quem apresenta mais do mesmo não se destaca no mercado.

Portanto, o desafio de gestores e gestoras, nesse sentido, é incentivar a inovação, criando um ambiente que acolhe bem novas ideias e propostas, mas também que garanta que elas estejam alinhadas com a essência do negócio.

E então, se identificou com os desafios de ser gestor ou gestora que mostramos aqui? Se quiser saber mais sobre o assunto, sugerimos que leia o material especial que preparamos para ajudar quem já é líder, mas não consegue exercer esse papel!

Categories:
  Carreira, Liderança

Comente

Informe seu e-mail para enviar seu comentário.