Faculdade Paulista de Pesquisa e Ensino Superior - 0800 730 7766

Para quem ainda está na faculdade, mudar de país e ter uma carreira internacional pode parecer um sonho muito distante. Os desafios são muitos, e a maioria das pessoas não sabe nem por onde começar.

Porém, nós acreditamos no protagonismo de cada um para fazer suas escolhas, tomar suas decisões e ser dono de sua própria vida. Morar fora e ter uma carreira de sucesso é possível, e o post de hoje vai ajudá-lo a conquistar isso.

Se você tem vontade de expandir seus horizontes e crescer pessoal e profissionalmente vivendo em outro país, fique ligado. Este artigo pode ser o seu ponto zero para realizar esse sonho. Preparado? Vamos nessa!

Por que ter uma carreira internacional?

Durante várias décadas, o Brasil foi um país que exportou mão de obra pouco qualificada para países mais desenvolvidos, como os Estados Unidos e os membros da União Europeia. O perfil desse imigrante era de pessoas com baixo grau de escolarização, que iam viver no exterior para ocupar vagas de menor nível de exigência técnica, com baixa remuneração e pouca perspectiva de crescimento profissional.

Felizmente, isso mudou muito nos últimos anos. O acesso dos brasileiros à educação superior cresceu, o que faz com que tenhamos muito mais a oferecer quando chegamos a um país estrangeiro. Isso ampliou também as chances de desenvolver uma carreira além das nossas fronteiras. Veja por que você deveria considerar trabalhar fora do Brasil:

Boa formação profissional

Em grande parte dos países desenvolvidos, principalmente na Europa, toda a formação acadêmica dos alunos tem uma orientação muito teórica. Isso significa que os jovens saem da faculdade com pouca ou nenhuma experiência de trabalho em suas áreas de formação.

No Brasil, as melhores faculdades aliam um embasamento teórico forte à prática profissional, seja por meio de laboratórios, oficinas dentro da própria grade curricular, estágios obrigatórios ou o incentivo ao estágio fora do horário de aula. Por isso, os jovens profissionais brasileiros têm uma maior destreza para lidar com o ambiente de trabalho — uma grande vantagem e diferencial.

E o mercado reconhece isso: os profissionais brasileiros normalmente se destacam muito em seus empregos no exterior.

Inserção do Brasil no mercado internacional

Nas últimas duas décadas, o Brasil se tornou um player mais relevante no cenário internacional. Isso faz com que algumas empresas possuam divisões especializadas no mercado brasileiro.

Nesses casos, essas corporações precisam de pessoas que falam português fluentemente (melhor ainda se for o português brasileiro) e conheçam nossa cultura em profundidade. Quem mais adequado para preencher esses requisitos do que um profissional brasileiro?

Algumas empresas contratam brasileiros para trabalhar no exterior para ocupar essas vagas e atender a essa demanda específica. Alguns exemplos são o banco Santander, a montadora Fiat Chrysler, a consultoria PwC e a IBM.

Muitos países buscam por imigrantes

Alguns países estão vivendo uma realidade preocupante: sua população está envelhecendo, e a taxa de natalidade não dá conta de suprir as necessidades de força de trabalho das próximas décadas.

Assim, países como o Canadá e a Irlanda desejam atrair jovens imigrantes para repovoar o país, além de trazer um novo ponto de vista e um olhar mais oxigenado para o mercado de trabalho. Nesses casos, é comum haver um programa de imigração que fornece apoio aos recém-chegados, inclusive para encontrar trabalho em suas áreas de atuação.

Brasileiros são um povo querido no exterior

Quem já viajou para o exterior sabe que os brasileiros são, de uma forma geral, bem-vistos e bem quistos na maioria dos demais países. Isso não acontece apenas quando somos turistas, mas também quando vamos viver no exterior.

“Nossas pesquisas mostraram que o brasileiro tem facilidade de se adaptar em novos contextos, entornos e sociedade e não forma guetos. Gostamos muito disso”, afirmou Perla Haro Ruiz, assessora em promoção para o Brasil do escritório de imigração do Québec no México em uma matéria do jornal O Tempo.

Todo início morando fora do país é difícil. Mas essa visão de que os governos e empresas de países do exterior têm dos brasileiros faz com que o prognóstico seja muito bom para quem deseja procurar emprego e morar no estrangeiro legalmente.

Mais oportunidades

A crise econômica que atingiu o Brasil nos últimos anos agravou a situação do mercado nacional. A taxa de desemprego aumentou, o tempo médio até encontrar um trabalho também, e muitas pessoas estão se vendo limitadas em suas possibilidades de ingressar no mercado de trabalho e de crescer profissionalmente.

Países onde a economia é mais sólida, como os Estados Unidos, Canadá, Austrália e os membros da União Europeia, tendem a ter mais oportunidades de emprego. Além disso, cidades cosmopolitas como Londres, na Inglaterra, Berlim, na Alemanha, e Madri, na Espanha, abrigam as sedes de grandes multinacionais.

Nesses contextos, o número de possibilidades é maior, e você ainda tem a oportunidade de ficar mais próximo dos centros produtores de inovação mundial e usar a criatividade em sua vida profissional.

Quais os passos para mudar de país?

Morar no exterior é uma decisão grande de vida e exige um planejamento muito cuidadoso. O início da vida fora do país é difícil, você vai ter que lidar com muitas burocracias, uma língua que não é a sua, novas formas de interagir e se relacionar, cultura e forma de ver o mundo completamente diferentes. Por isso, é importante pensar bem em vários aspectos antes de fazer a grande mudança. Veja:

Escolher o país

Para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve” é uma famosa citação de Alice no País das Maravilhas, clássico da literatura infantil de Lewis Carroll. Quando você está planejando uma carreira internacional, seu comportamento deve ser exatamente o oposto disso. É preciso ter metas, um objetivo bem definido para fazer valer a pena a mudança de país.

O primeiro passo, então, é escolher onde você deseja construir sua nova vida. Analise aspectos como clima, domínio da língua, tempo de deslocamento para ir visitar a família (ou se seus familiares poderão ir visitá-lo em sua nova residência).

Tem dupla nacionalidade ou a possibilidade de conseguir uma? Coloque isso em sua conta também! Ser cidadão do país em questão certamente ajuda muito na hora de conseguir um emprego.

Acesse blogs de outros brasileiros que moram no lugar para onde você pretende ir e leia os relatos. Toda cultura estrangeira apresenta pontos com os quais você terá mais dificuldade para lidar. Procure identificar quais são esses aspectos e analise sua capacidade de adaptar-se a eles.

Essas diferenças culturais são o que causam o choque cultural, uma sensação que todo imigrante tem ao chegar a um novo país e que pode ter diferentes graus de complexidade.

Obter visto de trabalho

Escolha de destino feita, é hora de você começar a se preocupar com a papelada. Se você deseja conseguir um emprego no exterior, você certamente necessitará de um visto de trabalho. Os processos para a obtenção desse documento variam de país para país.

Portanto, o primeiro passo que você precisa dar nesse sentido é entrar no site do consulado do país e ler todas as informações a respeito do seu caso. Alguns países exigirão reconhecimento do seu diploma; outros, que você já tenha uma proposta de trabalho ou que tenha como se manter por um tempo ao chegar lá.

Mas, normalmente, todos esses dados ficam disponíveis nos sites dos respectivos consulados. Aproveite para ver também como é a etapa de entrevistas, leia depoimentos de pessoas que já passaram pela experiência e prepare-se para o momento.

Além de tentar diretamente o visto de trabalho outra possibilidade que você deve considerar é a de ir para o país estrangeiro como estudante. Mesmo que você já fale a língua e já tenha seu diploma universitário, você pode ir em busca de uma pós-graduação ou um mestrado.

Essa pode ser uma porta boa para conseguir um visto, mas também pode ser sua primeira oportunidade para começar a fazer networking no novo país, entender o mercado de trabalho local e chegar às melhores oportunidades de emprego.

Fazer uma reserva financeira

As primeiras semanas e os primeiros meses em um país estrangeiro são um corre-corre. Mesmo que você já tenha o visto, precisará dar entrada na solicitação de residência no local, pedir seu número de contribuinte fiscal (que tem um nome diferente em cada país, mas é o correspondente do nosso CPF), encontrar um lugar para morar e começar a entender como funcionam as coisas no local.

Você também será um forasteiro recém-chegado, que não conhece ninguém e não sabe aonde ir para encontrar as coisas. Por esses e tantos outros motivos, você não pode esperar arrumar emprego logo que chegar (até pode acontecer, mas são casos excepcionais, e você não deve contar com isso).

Portanto, pesquise sobre os custos de vida no país e na cidade para onde você deseja se mudar. Informe-se também sobre as taxas de desemprego, o tempo médio de espera para encontrar trabalho na sua área, a taxa cambial da moeda local para o nosso real. Depois, faça as contas de quanto precisa para cobrir seus gastos por um tempo até que consiga sua primeira oportunidade de trabalho.

Caso a soma seja muito alta ou se você deseja ter a possibilidade de ir repondo a sua poupança já estando no seu país de destino, considere a possibilidade de ser um nômade digital. Sua profissão permite que você trabalhe online? Então, veja quais atividades você pode exercer remotamente, monte seu negócio online e faça um planejamento para começar a atuar dessa forma.

Nesse sentido, quanto antes você começar, melhor. Assim, terá tempo de formar uma carteira de clientes ou estabelecer-se como membro de uma plataforma e estabelecer um fluxo de rendimentos. Isso vai ajudá-lo até no planejamento de quanto você precisa economizar para a sua mudança.

Estabelecer contatos

Independentemente do seu visto ou dos seus planos para quando for morar no exterior, mesmo antes de chegar lá, comece a estabelecer contatos, principalmente profissionais. Pesquise empresas onde você gostaria de trabalhar, envie e-mails para os gestores da sua área, apresente-se e veja a possibilidade de marcar uma visita à empresa quando já estiver na cidade.

Você só tem a ganhar com essa atitude. Em primeiro lugar, você perde a timidez — algo que será muito necessário nessa nova etapa da sua vida. Depois, você começa a conhecer as primeiras pessoas, que podem levá-lo a oportunidades interessantes. Por fim, você pode até acabar conseguindo um emprego com isso!

Uma vez no país, procure eventos pertinentes a sua área. Encontros de câmaras de comércio, eventos de tecnologia, de associações e até encontros específicos para o desenvolvimento de uma rede de contatos. Lembre-se: você chegará ao país sem conhecer ninguém, então, será mais importante do que nunca formar vínculos.

Trabalhar seu marketing pessoal

Para os tímidos, a ideia de precisar fazer o marketing pessoal pode parecer um terror. Falar sobre si mesmo, valorizar suas qualidades e potencialidades, fazer com que as pessoas enxerguem seu potencial — tudo isso pode fazê-lo suar frio, pelo medo de precisar se expor a pessoas estranhas e até falar em público.

Se você tem esse perfil, precisará trabalhar esse ponto. Fazer seu marketing pessoal não significa sair por aí se gabando de suas qualidades para todo mundo. Ao contrário: as pessoas tendem a ter mais empatia com pessoas humildes, não importa quão boas elas sejam em seus campos de atuação.

O que você precisa elaborar é uma boa forma de se apresentar, falar sobre suas competências, experiências e também seus desejos, de forma clara e eficiente. Mas tome cuidado para não acabar virando um egocêntrico. Você quer estabelecer um diálogo com seu interlocutor, e não um monólogo chatíssimo sobre você mesmo.

Se bem-feitos, esses momentos lhe permitirão criar verdadeiras conexões com pessoas no novo país, e elas podem ser a ponte entre você e suas novas oportunidades de emprego.

Como preparar seu currículo para outro país?

O primeiro passo para começar a planejar sua carreira internacional é concluir seu ensino superior. Profissionais com um diploma de bacharelado ou licenciatura certamente têm mais chances de agarrar melhores oportunidades e crescer fora do país.

Além disso, você precisa construir um bom currículo. Mesmo sem nunca ter trabalhado na área que você estuda, é possível construir um bom currículo. Isso será muito importante para conseguir sua primeira oportunidade de trabalho quando chegar ao seu país de destino.

Durante esse processo, não se esqueça de intensificar as aulas de inglês, para ter o idioma na ponta da língua quando chegar ao país estrangeiro. Mesmo que você vá morar em um lugar onde essa não seja a língua oficial, falar inglês fluente é um diferencial no mundo todo. Se tiver a oportunidade, faça um intercâmbio — que, além de melhorar a fluência, ainda é uma experiência rica para colocar no currículo.

Por fim, você precisa formatar seu CV de acordo com o modelo utilizado na localidade onde pretende morar e trabalhar. A União Europeia utiliza o Europass, válido para todos os países membros do grupo. Nos Estados Unidos, o resume precisa ir acompanhado de uma cover letter e cartas de recomendação. É importante verificar essas particularidades para não cometer nenhuma gafe.

Quais documentos são necessários?

Cada país tem uma lista de exigências do que você precisará cumprir para morar fora do Brasil legalmente. Mas o que todos eles têm em comum é a necessidade de um visto. Os países da União Europeia não demandam visto para turistas que vão ficar até 90 dias no território de seus membros. Mas, como o seu objetivo é viver no exterior, esse não será o seu caso.

Alguns países exigem comprovativos de meios de subsistência, pelo menos por um certo tipo de tempo, até você ter como se sustentar sozinho. Já outros demandam um seguro de saúde por um período específico. E há, ainda, os países que exigem que você já possua um lugar para ficar quando chegar lá — nem que seja uma reserva em um hotel.

Você pode precisar de vacinas específicas, de uma carta do seu empregador (caso já tenha uma proposta de emprego), uma declaração de uma instituição que esteja lhe fornecendo uma bolsa de estudos ou pesquisa — enfim, a lista de possíveis documentos necessários é imensa.

Portanto, a primeira coisa que você precisa fazer é se informar sobre as demandas específicas do país para onde você está indo. Caso não consiga encontrar todas as informações no site do respectivo consulado, ligue para o escritório e peça um agendamento para o esclarecimento de dúvidas.

Outra ferramenta que você pode utilizar é a pesquisa com pessoas que já passaram pelo mesmo processo. No Facebook, é possível encontrar grupos de brasileiros em praticamente todos os lugares do mundo. Aproveite esses espaços, leia o que já foi postado lá, as dúvidas e as respostas dos membros, e, caso não consiga encontrar as informações para o seu caso, não hesite em perguntar.

Se, ainda assim, não se sentir seguro para prosseguir com os procedimentos, há a possibilidade de contratar uma empresa especializada no processo de vistos para o país onde você deseja morar. Algumas agências lidam somente com esse tipo de processos e têm as competências necessárias para assessorá-lo nesse processo.

Que experiências podem ajudar em uma carreira internacional?

Com o grau de globalização que temos atualmente, é possível dizer que há todos os tipos de profissionais em todos os lugares. Isso quer dizer que, a menos que você seja um superespecialista em um assunto de um nicho muito fechado, haverá alguém que saberá fazer o mesmo trabalho que você.

Mas não queremos assustá-lo nem desmotivá-lo do seu propósito de ter uma carreira internacional. Ao contrário, saber dessa realidade é uma vantagem, pois permite que você se prepare melhor para ela.

Quando chegar ao seu novo país, você precisará ter um diferencial para apresentar àquele mercado de trabalho. Assim, todas as experiências que acrescentem valor ao seu currículo e o ajudem a desenvolver alguma habilidade específica serão muito bem-vindas. Veja alguns exemplos:

Intercâmbio

Morar fora para um intercâmbio não é só uma oportunidade para treinar a língua estrangeira. É também uma chance de você exercitar sua capacidade de adaptação, tolerância a uma cultura estrangeira, abrir os olhos para uma nova visão de mundo.

Voluntariados

Muitas empresas, atualmente, estão preocupadas com a pegada social que estão deixando no mundo. Gigantes como a Coca-Cola estão abrindo branches de empreendedorismo social para contribuir mais com o desenvolvimento da sociedade. Assim, pessoas que têm essa mesma preocupação são muito valorizadas pelo mercado de trabalho.

Participação em eventos

Seja organizando, estando lá como ouvinte ou — ainda melhor! — como conferencista, a participação em eventos focados em sua área é uma ótima experiência de vida e um upgrade no seu currículo. Procure engajar-se nesse tipo de atividade e mostre ao seu futuro empregador que você está por dentro das novidades, acompanha as mudanças e pode ser um trendsetter de sua área.

Rodas de negócios

Se você acha que rodadas de negócios são eventos exclusivos para os altos escalões das empresas, pode começar já a mudar sua visão! Muitas empresas participam desse tipo de evento para encontrar um perfil específico para as vagas que pretende preencher, fechar parcerias e identificar novas oportunidades de negócios. Estando ali, você tem a chance de ser uma das pontas dessa relação.

Se você chegou até aqui neste artigo, percebeu que ir viver e trabalhar fora do Brasil não é uma decisão que se toma da noite para o dia. Em primeiro lugar, porque é uma grande mudança de vida, que demanda um investimento alto de dinheiro, tempo e energia. Depois, porque você vai enfrentar muitos desafios, para os quais precisa estar preparado.

No entanto, é algo que, com o planejamento correto e alguma determinação, está ao seu alcance. Se você sente que seu destino está fora das fronteiras do Brasil, não deixe que essa longa lista de passos prévios o desmotive. Trace seu plano, elabore suas metas intermediárias, coloque tudo no calendário e parta para a ação! Ser um profissional global é um desafio possível de ser conquistado!

Se você gostou de nosso guia para se mudar de país e começar uma carreira internacional, também vai gostar dos conteúdos exclusivos que preparamos para nossas newsletters. Assine-a e receba informações valiosas diretamente em sua caixa de e-mail!

Deixe uma resposta

Fechar Menu

Taxa de Inscrição Vestibular Futuro Executivo

R$25,00

O Programa Futuro Executivo da Fappes Blox foi feito para te transformar. Ele diz respeito a uma graduação em Administração com uma série de benefícios para mudar suas atitudes, comportamentos, suas visões empreendedoras e de mundo! Está pronto para transformar sua vida?

Fazendo o Programa Futuro Executivo você tem direito a um curso no Canadá, na McGill University durante um mês! Um curso de inglês e sessões de Coaching também entram na lista VIP das inúmeras vantagens do Programa. Nós da Fappes Blox acreditamos que a educação vai além de um diploma. E você?