Vale a pena fazer um intercâmbio de um mês?

By Comunicacão FAPPES 3 meses ago

Quer se destacar no mercado? Domine outro idioma! Além de garantir acesso a um material mais amplo para a construção do conhecimento, saber outra língua potencializa a rede de trocas que pode render boas oportunidades para a carreira.

Se você já se deu conta disso, sabe também que estudantes e profissionais da área da administração devem estar ainda mais atentos e atentas a essa necessidade. O mundo dos negócios requer relacionamento e bom diálogo. E se sua chance de ouro depender da sua habilidade de conversação com uma executiva americana, por exemplo?

O intercâmbio surge, assim, como uma boa opção para desenvolvimento rápido. Mas será que um intercâmbio de um mês vale o investimento? É suficiente? Se você está se fazendo essas perguntas, este artigo vai ajudar você. Vamos começar?

Qual a importância de um intercâmbio?

Para deslanchar de vez no aprendizado do idioma, o intercâmbio é, sem dúvidas, a melhor opção. A imersão em outra cultura e em um cotidiano em que se experimenta uma nova língua em tempo integral faz com que o desenvolvimento seja notável.

Muitas pessoas, sem condições de passar longos períodos fora do Brasil por conta de compromissos especialmente de trabalho ou de estudos, pensam: “e se eu usasse minhas férias para viver essa experiência em outro país?”.

Com vários receios, especialmente agravados pela crise financeira, que demanda uma aplicação ainda mais eficiente de recursos, estudantes e profissionais indagam: “vale a pena fazer um intercâmbio de um mês?”.

Os questionamentos são importantes, mas a resposta é: vale! Vamos lhe mostrar argumentos que vão fazer você sair de cima do muro!

Por que vale a pena fazer o intercâmbio de curta duração?

Você já viveu na vida alguma experiência que, mesmo curta, conseguiu modificar você por completo? Esse é o caso do intercâmbio: não há como você voltar para o seu país depois de uma temporada fora do mesmo jeito que embarcou.

A bagagem de conhecimento e vivência é inestimável. Trinta dias de mergulho em seus objetivos e disciplina fazem por você o que anos de cursinho não são capazes de fazer.

Mais do que o aprendizado da língua, o intercâmbio pode ser o momento decisivo para você adquirir mais conhecimento sobre sua área de atuação. Estudando o que gosta e aquilo que é realmente relevante para a sua carreira, o idioma será apreendido de maneira bem mais natural.

Programas de curta duração desenvolvem um vocabulário específico da área profissional que um curso genérico não dá conta de abarcar. Nesse sentido, aliar o intercâmbio ao ensino superior é a melhor maneira de garantir profundidade de conhecimentos em um pequeno prazo.

A FAPPES, por exemplo, conta com uma solução que une o compromisso com os estudos, a dedicação profissional e a imersão em outra língua. No Programa Futuro Executivo, não apenas o ensino de inglês faz parte da grade do curso de Administração, estando presente em dois anos da formação ofertada na instituição, mas é possível fazer um módulo do curso no Canadá totalmente voltado para a área.

Durante um mês, alunos e alunas podem estudar na renomada McGill University. Dessa maneira, o intercâmbio de trinta dias não só contempla o inglês voltado para negócios, essencial a todo e toda profissional da área, mas também as vantagens que a experiência de curta duração proporciona. Vamos a elas?

Quais são as vantagens de fazer um intercâmbio de um mês?

A essa altura, você já entendeu que um intercâmbio de um mês vale sim o investimento. Mas quais são as vantagens mais palpáveis dos programas de curta duração? O que passar um mês em outro país oferece de atrativo para você? Listamos, aqui, alguns dos benefícios para ajudar na sua decisão:

  • Alunos e alunas que partem para intercâmbios de curta duração costumam fazer cerca de 60 a 80 horas concentradas de curso, o que pode equivaler a cerca de um ano de cursinho de idioma no Brasil, se levarmos em conta um curso que tenha carga horária de duas horas semanais.
  • Módulos internacionais da graduação no exterior, como é o caso do curso de Administração da FAPPES, oferecem toda uma estrutura de apoio da instituição para graduandos e graduandas viverem essa experiência de forma tranquila e segura, com o máximo de aproveitamento.
  • Você não precisa “abrir mão” da sua vida como faria caso escolhesse um programa mais longo. É possível conciliar a experiência com o trabalho, com relacionamento, com outros projetos. É uma espécie de intensivo em que se aprende muito em pouco tempo.
  • Por conta do período mais curto, os valores podem ficar bem mais atraentes para o bolso. É claro que você já ouviu dizer que “quanto mais tempo você faz o intercâmbio, mais barato sai”. Mas você realmente precisa ficar tanto tempo? Essa suposta economia vale a pena se no final das contas o programa sairá, no tempo expandido, mais caro?
  • Com um mês, já é possível se acostumar com a língua estrangeira, assimilando sua fonética com mais facilidade. Além disso, você já começa a pensar na outra língua, de forma que palavras do idioma para situações corriqueiras emergem com naturalidade na sua memória.
  • Fazer um intercâmbio de curta duração é ter a oportunidade de conviver por algum tempo com pessoas de vários lugares do mundo, com costumes, crenças e hábitos bem diferentes dos seus. Isso serve para expandir a mente de uma maneira incrível e aprender a entender e respeitar a diversidade. Amizades para a vida toda podem surgir desse momento.
  • Quando você faz um curso de curta duração com objetivos bem específicos, como adquirir conhecimento na sua área de formação, você ganha rapidamente desenvoltura não apenas na língua, mas nas situações profissionais que podem vir a envolver a língua (participar de eventos internacionais, assistir a palestras em um idioma estrangeiro, fazer entrevistas à distância etc.).

Alguns cuidados, no entanto, devem ser tomados. Por mais que os intercâmbios de curta duração ofereçam uma infinidade de vantagens, há quem certamente vai aproveitar mais:

  • Pessoas com nível mais avançado geralmente apresentam uma curva de desenvolvimento mais expressiva no idioma. Quem está começando pode não se beneficiar tanto da experiência. A dica é estudar bastante o idioma antes de pegar o avião.
  • Quem não se restringe apenas às aulas e se dispõe a viver a experiência de forma mais intensa, abraçando costumes, lendo e vendo jornais locais, estudando mesmo depois da classes e se forçando a falar o máximo de tempo no novo idioma vai apresentar saldo melhor que quem se acomodar (ou procurar só brasileiros e brasileiras para conversar).

E então, se interessou pela possibilidade de fazer intercâmbio de um mês? Percebeu o quanto ele pode ser decisivo para sua carreira? Entre em contato com a gente e vamos conversar melhor sobre o assunto!

 

Category:
  Intercâmbio

Comente

Informe seu e-mail para enviar seu comentário.